Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de quem já não vai para novo

...porque as palavras são a voz da alma.

Diário de quem já não vai para novo

...porque as palavras são a voz da alma.

17.05.24

O génio da lâmpada


a. almeida

genio2.jpeg

Num certo blog cá da praça, que não menciono apenas porque o mesmo está em destaque na plataforma, o autor tem um bom artigo onde aborda a questão da inteligência artificial (IA), considerando, e bem, que a mesma ... interfere em todos as áreas da expressão humana, sendo mesmo usada para criar música, imagens, conceitos pictóricos, poemas e até roteiros de filmes.

Se concordamos todos que a IA apresenta ganhos extremamente positivos na área das ciências, desde que usados apenas num sentido positivo e na promoção do bem humano e da natureza (o que será impossível, reconheça-se), questiona o autor, legitimamente, o seu uso em contexto da criatividade artística.

Mais questiona se "Importa se uma pessoa aprecia o trabalho criado por uma máquina ou se isso ainda é antiético? A resposta a esta questão filosófica parece não vir tão cedo. Por enquanto, o uso de assistentes de software nas esferas criativas ergue muros de preocupações e protestos. Talvez por isso os limites diários do uso dessa IA levantem cada vez mais questões."

Como comentei o artigo, partilho aqui o comentário ou a ideia do mesmo, com ligeiros acrescentos, que de algum modo exprime o que tenho em conta sobre o assunto:

- Tudo questões sérias e pertinentes.
De facto a criatividade humana começa agora a valer pouco ou nada e numa qualquer obra já não sabemos se havemos de nos deslumbrar, pelo talento e criatividade, ou se apenas torcer o nariz e pensar que o mérito é apenas de uma máquina e algoritmo que limitam-se a interpretar uma ordem baseada numa descrição mais simples ou rebuscada. A modos de quase como o esfregar a lâmpada e pedir o desejo ao génio. Com ela, o mais nabo e inadaptado torna-se mestre.
Em resumo, soltaram a fera. Anda agora à solta e impossível será domesticá-la.
O meteorito dos prejuízos para os verdadeiros artistas, que até aqui viviam pelo seu talento, está já em queda. Qual a verdadeira dimensão da cratera e da onda de choque do seu impacto, é o que se verá, e não será necessário esperar muito.

A condizer ao artigo, uma imagem gerada por IA.

1 comentário

Comentar post